A imagem do Pico do Fogo domina a ilha com magnetismo. É como se todos os caminhos fossem dar à Chã das Caldeiras, aldeia isolada do mundo na imensa cratera do vulcão, envolvida pelo negro da lafite. Videiras rompem heroicamente a lava e produzem as uvas que dão o vinho Manecom, sabor raro que Cabo Verde oferece ao mundo, prestes a ser património mundial do gosto. Caminhantes podem aventurar-se a até ao topo do vulcão, jornada que se prolonga por quatro horas. O vulcão está ativo – a última erupção aconteceu em Novembro de 2014 – e os sinais dessa vida são tão atraentes como inquietantes.

TREKKING E AVENTURA
Com quase três mil metros de altitude, escalá-lo de Chã das Caldeiras até ao topo é uma experiência inesquecível para todos os que nunca se cansam de viver sensações diferentes e únicas na vida. A paisagem é de breu, agreste, lunar, e no entanto fértil…

vulcao-texto

Os trilhos para os caminheiros estão traçados, como que cravados nas montanhas. Passo a passo, a descoberta de paisagens inéditas faz-se aspirando aromas dos cafezais e das vinhas que são próprios, exclusivos do Fogo.

As plantações de café e vinha são acessíveis aos visitantes da ilha. Esses momentos podem ser aproveitados para experimentar produtos cultivados nestas zonas vulcânicas beneficiando de microclimas que não encontram paralelo no planeta.